Sobre Mim

Sobre Mim

[instagram-feed]

Meu nome é Ananda, tenho 20 anos e sou pisciana com orgulho. Acredito na arte como um poder de renovação pessoal incrível. Movida por justiça social e vários tipos de igualdade e união de pessoas. Apaixonada por elefantes, Chico Buarque, bala Fini e Friends. Também queria ser dançarina.

Em 2014 passei por situações que tiraram meu chão. Perdi a vontade de viver. Me encontrei uma menina de 15/16 anos insegura, doida por aprovação mas sem esperança de nada na vida. Repetia de ano no colégio, não conseguia me encaixar naquilo ou em nada que já tinha feito. Sem escolha, tive que me reinventar. Desde esse ano me dedico a desbravar meu infinito particular. Caótico, solitário, amedrontador e lindo. Nessa confusão toda, a fotografia me encontrou. Ganhei um Galaxy S3(muito cool) e saía clicando. Mas não sabia que aquilo podia ser para mim. A única coisa que eu tinha certeza era como me fazia sentir bem sair enxergando fotos em todos os cantos. Nesses anos busquei aprimorar meu olhar fotográfico. Não tinha o dinheiro para uma câmera de verdade então ficava sonhando com o celular na mão. Naquele momento, me bastava.

Em 2016 comprei uma Nikon com um amigo. Tão velhinha que já não dava para colocar outras lentes sem um tal de um adaptador mais moderno. Mas tudo bem, eu não sabia mexer em muitas funções mesmo. Com ela fiz algumas fotos no modo semi-automático com a 18-55mm e era um pouco decepcionante. Por que a foto na minha cabeça sempre saía tão mais bonita que na câmera?

Em 2017 uma amiga foi para os Estados Unidos e consegui vender minha velhinha e colocar mais um dinheiro para ela trazer uma Nikon de verdade. Ufa! Finalmente uma câmera digna. Nem dava para acreditar que com ela eu podia ter várias lentes sem precisar de adaptador caro nenhum. Mexendo, clicando, vendo vídeo no YouTube, a foto ainda não saía como era na minha cabeça. Repensei tudo! Será que tenho talento? Será que é pra mim? Um rápido momento de dúvida para a certeza vir com mais força: É o que eu quero! Me matriculei em um curso no Ateliê da Imagem, no Rio. Além da técnica, aprendi sobre cor, referências fotográficas, história da fotografia. Aí o negócio ficou sério! Agora já não tinha mais como fugir. Tinha o curso, tinha a câmera, o início de carreira incentivado pela fotógrafa professora do curso. Tinha até tripé e mais de uma lente! Dá pra começar, não é?

É 2018 e aqui estou eu. Com 20 anos de idade, com frio na barriga e iniciando um projeto de vida, um sonho. Fotografia para mim é mais que uma profissão. Foi onde encontrei paz, liberdade e renovação. Foi o que me ajudou a me reerguer, o que me disse que eu podia sim sonhar em fazer algo que me realizasse.